Crescimento do varejo na Black Friday deve ser de até 3%

Crescimento do varejo na Black Friday já é esperado pelo comércio. A Fecomércio-SP tem orientações para ajudarem os lojistas a faturar na data.

Karina Carneiro
Karina Carneiro

De acordo com a previsão da Fecomercio-SP, o crescimento do varejo físico na Black Friday deve ser de até 3% em relação ao mesmo período do ano anterior.

Entre os principais segmentos, supermercados e materiais de construção devem ganhar destaque na data, considerando os negócios físicos.

Continua após a publicidade

Caso as previsões se confirmem, o setor econômico fechará o ano em queda de 3%, cenário extremamente favorável perto das previsões que especialistas faziam para a economia no ápice da pandemia provocada pela Covid-19.

Crescimento do varejo físico na Black Friday – Como potencializar a atenção do consumidor?

Para potencializar ainda mais as vendas de negócios físicos durante a data, a entidade orienta que os estabelecimentos coloquem em prática planos para a fidelização de consumidores, além dos descontos em produtos já esperados.

“Esse ano, além de bons produtos, a população estará em busca de preços atrativos, principalmente por conta do cenário de desemprego atual”, disse a entidade em comunicado à imprensa. 

Além disso, é fundamental que os lojistas não se esqueçam dos protocolos sanitários para atrair consumidores aos seus estabelecimentos e potencializar o crescimento do varejo na Black Friday.

Entre as principais orientações da Fecomercio-SP estão o uso do álcool em gel, medição de temperatura e limitação de número de pessoas, principalmente em supermercados, no ápice da data. 

Margem de lucro não deve ser afetada

Mesmo com a oportunidade de crescimento do varejo físico na Black Friday, a entidade orienta para que o empreendedor não comprometa sua margem de lucro apenas para participar da data e realizar vendas. 

“Podemos dizer que para ter um bom resultado no final do mês, é necessário realizar contas como mensuração de custos, estoque parado e planejar a gestão de fornecedores. Somente desta forma se torna possível realizar cálculos concretos para  ter lucratividade em certo volume na Black Friday”, recomenda a Fecomercio-SP.

Gostou do conteúdo e quer continuar acompanhando mais notícias sobre como planejar sua Black Friday? Não deixe de assinar a newsletter do iDinheiro e ativar as notificações do Push para receber todos os conteúdos em tempo real. 

Continua após a Publicidade

Comunidade iDinheiro
Pergunte à comunidade ➔
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Logo iDinheiro

Newsletter iDinheiro: receba novidades sobre o que importa para o seu dinheiro.

    Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.