Segundo os dados apurados pela Boa Vista Serasa, o INdicador de Demanda por Crédito do Consumidor teve um aumento de 6,8% em junho, em comparação ao mês de maio. Os resultados inclusives, já descontam as datas sazonais dos dois períodos.

Porém, no resultado acumulado do ano, o saldo é negativo, indicando cerca de 15,4% a menos do que o mesmo período de 2019, totalizando uma queda de 6,3%.

Continua após a publicidade


Considerando dados relacionados a consumo de produtos e serviços, e outros índices que fazem parte da análise, os resultados ainda seguem negativos, indicando uma retração aproximada de 0,7% em 12 meses. 

Enquanto isso, o segmento Não Financeiro registrou uma queda de 10,2% nesta mesma comparação, muito por conta da crise atual provocada pela pandemia do novo coronavírus.

Crédito do Consumidor fragilizado

Outro dado importante divulgado pelo Boa Vista, estão relacionados aos indicadores do crédito do consumidor de modo geral. Mesmo com um resultado positivo em junho, a previsão é de que a retração econômica resulte os piores números da história.

Além disso, a tendência de crescimento não é tão clara e objetiva, já que apesar do afrouxamento do isolamento social, a população ainda não se sente segura para consumir produtos do comércio varejista como antigamente.

De acordo com o comunicado emitido pela empresa, apesar do cenário ser complicado, a melhora é esperada a partir de agosto, onde o comércio já deve estar parcialmente reconstruído. 

“Agora que já passamos a fase mais complicada das adversidades e adequações ao novo universo em que estamos, o mercado de trabalho deverá estar aquecido nos próximos meses e o cenário impactará positivamente as nossas pesquisas”. 

Elaborado pela Demanda do Consumidor por Crédito, o índice é constituído a partir da quantidade de consultas de CPF na base de dados da Boa Vista, que são abastecidas constantemente pelas empresas de crédito parceiras.

Quer acompanhar mais detalhes sobre esse universo? Não deixe de assinar a newsletter do iDinheiro