Contratação temporária de fim de ano deve ser a menor em cinco anos, segundo CNC

A contratação temporária de fim de ano deve ter melhores oportunidades no comércio varejista, mas expectativa é que números sejam menores.

Karina Carneiro
Karina Carneiro

Segundo dados divulgados pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), a contratação temporária de fim de ano deve ser a menor em cinco anos. A estimativa é que sejam abertas cerca de 70,7 mil vagas para atender a demanda sazonal do período.

Com isso, a previsão de recuo é de 19,7% em relação ao ano anterior, quando 88 mil postos de trabalho foram criados para suprir as necessidades dos segmentos mais populares da época. A queda é consequência da pandemia da Covid-19, aponta CNC.

Continua após a publicidade

De acordo com a pesquisa, lojas de artigos de uso pessoal e doméstico (13,7 mil), super e hipermercados (13,4 mil), juntamente com os segmentos de vestuário, deverão ser os principais responsáveis pelas contratações temporárias em 2020. 

Com o Natal sendo a principal data comemorativa do varejo, a previsão de movimentação financeira é de R$ 37,5 bilhões este ano, índice negativo em 2,2% em relação ao ano anterior.

Principais vagas para a contratação temporária de fim de ano

A estimativa é que nove a cada dez vagas sejam preenchidas pelas cinco ocupações com mais demanda nesta época festiva. Entre elas:

  • Vendedores;
  • Operadores de caixas;
  • Atendentes;
  • Repositores de mercadorias;
  • Embaladores de produtos.

Entre os salários mais altos entre as principais funções, se destacam os operadores de caixa, com R$ 2.272,78, e os repositores de mercadorias, com R$ 1.576,24. 

Contratações em novembro e dezembro

Segundo a CNC e informações divulgadas pelo G1, a busca por novos profissionais no comércio deverá ocorrer entre novembro e dezembro. Essa é a época em que o segmento varejista começa a aquecer por conta da aproximação das datas festivas.

Do ponto de vista de reativação do consumo, a segunda metade deste ano pode favorecer as vendas em relação ao primeiro semestre de 2020. 

Expectativa do e-commerce 

Com o avanço significativo do comércio eletrônico em 2020, os especialistas acreditam em cerca de 25% da redução das vagas presenciais em relação ao mesmo período de 2019.

Entretanto, algumas oportunidades temporárias poderão surgir voltadas ao comércio online, principalmente em grandes players do mercado. 

Quer continuar acompanhando as principais informações sobre o universo financeiro? Não deixe de assinar a newsletter do iDinheiro e ativar as notificações do Push para receber todos os conteúdos em tempo real. 

Continua após a Publicidade

Comunidade iDinheiro
Pergunte à comunidade ➔
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Logo iDinheiro

Newsletter iDinheiro: receba novidades sobre o que importa para o seu dinheiro.

    Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.