Vai comprar na Black Friday? Veja o que realmente vale a pena

Comparar preços e verificar a veracidade das ofertas são algumas dicas importantes para quem pretende comprar nesta Black Friday.

Isabella Proença
Isabella Proença

Se você tem interesse em comprar na Black Friday, este ano ela ocorrerá oficialmente na próxima sexta-feira, 27. Mas, desde o início de novembro, há produtos com descontos ou em promoção disponíveis no mercado.

O evento anual, de origem americana, conquistou espaço entre os brasileiros e hoje em dia é umas das principais datas do comércio varejista.

Continua após a publicidade

No entanto, antes de levar um produto para casa, é importante ficar atento à veracidade das ofertas e se limitar a comprar o que é realmente necessário, evitando compras por impulso.

As informações são do jornal Estado de Minas.

Comprar na Black Friday: quais setores darão mais descontos?

O professor e coordenador dos cursos de Gestão e Ensino à Distância do Centro Universitário Newton Paiva, Leandro Silva, explica, em entrevista ao Estado de Minas, que os setores mais afetados pela pandemia serão aqueles que darão mais descontos.

Continua após a publicidade

“Moda, por exemplo, ninguém comprou roupa. No máximo pijama, chinelo, uma roupinha pra ficar mais em casa porque as pessoas deixaram de sair. Como esse foi o setor que mais sofreu durante a pandemia, ele inevitavelmente vai dar mais descontos”, afirma.

Segundo ele, há uma regra a ser seguida: quanto maior for o estoque, maior será a oferta. Isso porque as áreas que estão com o estoque baixo e necessitam de um prazo maior para entregar o produto possivelmente não darão desconto.

“Se tem mais estoque parado, é uma tendência do empresariado dar descontos maiores. Para poder, inclusive, dar descontos maiores e se capitalizar e preparar para o Natal”, frisou.

Sendo assim, calçados, roupas, acessórios, cosméticos e perfumaria são os produtos que podem oferecer descontos maiores.

Continua após a publicidade

O professor ainda diz que a Black Friday pode ser uma ótima oportunidade para as pessoas providenciarem as compras de Natal.

“Quando as pessoas forem analisar o que é bom para comprar, talvez seria interessante olhar o que elas estavam planejando em comprar no Natal e aproveitar esses mega descontos, que parece que vão acontecer”, orienta.

Procura alta e risco

O especialista acredita que produtos que têm muita procura provavelmente não terão descontos atraentes.

“Por que o mercado vai dar desconto em televisores, aparelhos de informática ou coisas que estejam atreladas ao dia-a-dia do home office, se vai continuar tendo essa procura? Portanto, acredito que só vale a pena comprar produtos com grandes descontos e esses com alta demanda, é natural não terem desconto”, destaca.

Outro nicho que poderá ter boas ofertas é o de viagens. Entretanto, Silva alerta para o risco de comprar passagens aéreas ou pacotes de viagens na Black Friday.

Continua após a publicidade

“O setor de viagens e turismo está com pacotes maravilhosos e muitos descontos. Mas, o problema é que qualquer compra que a pessoa fizer, vai ter que trabalhar com o risco de na data não poder viajar em função da pandemia”.

Ele afirma, ainda, que as pessoas devem ficar atentas às condições para o uso e, se por algum motivo não puderem usar, confirmar se uma possível devolução do valor ou remarcação da data não terá nenhum tipo de custo extra.

Comprar à vista ou parcelado?

Outra dica importante é comprar à vista, sempre que possível.

“Porque o ano que vem será de muita instabilidade econômica. Então, trazer dívida para o próximo ano, é só para pessoas que têm uma garantia de estabilidade de pagamento”, explica.  

Para ele, os consumidores devem ficar atentos às condições de pagamento. Isso porque, às vezes, o produto pode sair mais caro caso parcelado.

Continua após a publicidade

O especialista também alerta para algumas cláusulas que podem enganar o consumidor. Em alguns casos, por exemplo, o desconto só é válido para pagamento à vista e, se a pessoa quiser parcelar, o preço sai da promoção.

Portanto, o acompanhamento dos preços é fundamental.

“Não só o preço que determinada loja praticava, mas o preço médio do mercado. Porque às vezes o desconto nem é tão grande. É preciso fazer um planejamento e uma pesquisa de preços, para ver se, de fato, o produto está com desconto”, conclui.

Esta matéria foi útil? Então, assine a newsletter do iDinheiro e se mantenha informado sobre tudo o que importa para o seu dinheiro.

Continua após a Publicidade

Comunidade iDinheiro
Pergunte à comunidade ➔
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Logo iDinheiro

Newsletter iDinheiro: receba novidades sobre o que importa para o seu dinheiro.

    Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.