Previdência Privada

Como fazer previdência privada? Entenda o passo a passo!

Luana de Oliveira
Luana de Oliveira
Imagem de um cofrinho com várias moedas simbolizando o conteúdo sobre como fazer previdência privada

Neste artigo você vai aprender como fazer uma Previdência Privada, além de aprender sobre o seu funcionamento e os tipos de planos.

Como fazer previdência privada? Entenda o passo a passo!

A previdência privada é um investimento de longo prazo, utilizado por pessoas que procuram por novas alternativas de renda.

Nesse sentido, é possível considerar uma aposentadoria, independência financeira, futuro dos filhos e da família em geral ou até mesmo para outros objetivos pessoais no longo prazo.

Continua após a publicidade

Ao considerar essa aplicação, no entanto, existem diversas dúvidas a respeito do processo. Mas não se preocupe: todas elas são naturais e devem ser esclarecidas.

Dessa forma, você terá a tranquilidade de aplicar em algo que confia e entende. Não é mesmo?

Continua após a publicidade

Pensando nisso, então, fizemos um conteúdo completo para te ajudar a como fazer uma previdência privada, além de conhecer algumas características deste investimento.

Como fazer uma previdência privada

Para adquirir um plano de previdência privada é necessário que entre em contato com uma instituição financeira de confiança.

Para ter a certeza que escolheu o plano certo, não se esqueça de fazer uma boa avaliação sobre as taxas, modalidades, rentabilidades, tributações.

Esses pontos podem sofrer variações de acordo com os planos e empresas escolhidas, então, mantenha uma boa atenção nesse sentido.

Continua após a publicidade

O próximo passo é bastante simples. Basta informar para o gerente do seu banco o seu interesse, ou então, realizar a compra através da plataforma da instituição financeira.

Na maioria das vezes, tudo é feito de forma rápida e segura. E, obviamente, é claro que a reputação da empresa e qualidade do serviço devem ser levados em consideração.

Saiba como funciona a previdência privada

A maioria dos bancos, seguradoras e instituições financeiras são as responsáveis por oferecer planos de previdência privada.

Neste investimento, você tem o conhecimento sobre quanto deve reservar mensalmente para acumular aquele valor desejado. Além disso, saberá também a quantidade de tempo necessária.

Continua após a publicidade

Dessa forma, o tipo de plano, o valor aplicado e o tempo de contribuição vão influenciar a quantia a ser recebida ao fim do prazo combinado.

Sobre o resgate da previdência privada, existem várias formas para solicitar. Confira abaixo:

  • plano de resgate total, onde acontece o resgate do valor total acumulado durante o período da aplicação;
  • de renda mensal temporário, em que é realizado o pagamento de forma parcelada até data determinada em contrato;
  • plano de renda mensal vitalícia, opção utilizada por investidores que buscam receber a previdência privada em pagamentos mensais até o seu falecimento.

Existe, por fim, o plano mensal vitalício transferível. Nele, são feitos pagamentos mensais até o falecimento do investidor.

A partir daí, um beneficiário determinado em contrato passa a receber o benefício. Também há possibilidade de que, em caso de falecimento do beneficiário, o valor passa a ser pago a seus filhos menores de idade.

Durante a contratação da previdência privada, você precisa ter em mente sobre qual a forma de devolução e as taxas que precisam ser pagas.

Esses conhecimentos são importantes justamente para evitar situações desagradáveis no futuro.

Conheça os tipos de previdência privada

No mercado financeiro você encontra dois tipos de previdência privada:

1) PGBL (Plano Gerador de Benefício Livre)

A previdência privada PGBL é muito usada por investidores que possuem rendas elevadas.

Isso acontece pois este plano pode ser direcionado para dedução de suas contribuições no Imposto de Renda. Lembrando que o limite estipulado é em 12% da renda bruta anual do investidor.

Continua após a publicidade

O PGBL é bastante recomendado para as pessoas que são tributadas na fonte e declaram seu IRPF.

Então, a aplicação que acumulou R$800 mil reais durante 35 anos, faz com que o investidor pague imposto após o resgate sobre o valor total da aplicação, e não somente sobre o rendimento.

2) VGBL (Vida Gerador de Benefício Livre)

Diferente do PGBL, a previdência privada VGBL não precisa ser declarada no Imposto de Renda.

Dessa forma, é recomendada para os investidores que realizam a declaração do IRPF de forma simplificada. Também é indicada para quem procura aplicar mais de 12% da sua renda anual na previdência.

Continua após a publicidade

Esse plano tem a vantagem da agilidade que ele garante ao beneficiário em relação ao recebimento do benefício.

Isso acontece pois ele não é incluso como bem em um inventário, ao contrário dos fundos de investimento. Além disso, ele economiza impostos no curto prazo.

Portabilidade de uma previdência privada

Como a maioria dos investimentos, é possível realizar a portabilidade da sua previdência privada para outra instituição.

Mas para que isto possa ser realizado, é interessante que se entendam as regras que regulamentam este direito do consumidor.

Continua após a publicidade

A transferência da aplicação pode ser realizada a qualquer momento durante a fase de acumulação, desde que o investidor respeite o prazo de carência exigida pelo banco.

Normalmente este período é em torno de 60 dias.

A instituição financeira tem cinco dias úteis para realizar a portabilidade, e o prazo conta a partir da data da solicitação.

Além disso, não é permitida a mudança da modalidade da previdência privada durante a portabilidade. Isto é, você pode solicitar a portabilidade da sua previdência VGBL para VGBL.

Caso o investidor tenha interesse de solicitar a portabilidade e alterar a modalidade do plano, então o recomendado é que seja feito o resgate do valor da aplicação para realizar um novo investimento.

Isto serve também para quem deseja alterar a tabela de tributação da previdência privada.

Nesse sentido, não é possível alterar a tabela progressiva para regressiva durante a portabilidade. No entanto, a previdência não incide sobre o IR durante a portabilidade.

Continua após a publicidade

Conclusão

Como você pode perceber, o processo de como fazer previdência privada não deve ser muito complicado.

Algo importante, conforme já apontamos, é uma noção completa sobre esse tipo de investimento, além do estudo aprofundado sobre as principais empresas do mercado.

Entenda que além de ser uma aplicação no longo prazo, a previdência privada tem total relação com aqueles sonhos e objetivos de toda a sua vida. E da família também!

Por isso, tome o seu tempo. Analise, compare e tire todas as suas dúvidas. Tenha certeza que o processo de escolha fica muito mais natural e acertado!

Pense também naquelas taxas e no famoso custo-benefício, além de qualquer detalhe que passe despercebido. E boa sorte!

Se você gostou deste conteúdo, que tal continuar recebendo outras informações sobre a previdência privada? Então assine a nossa Newsletter e receba tudo em primeira mão!

Publicidade

Logo iDinheiro

Newsletter iDinheiro: receba novidades sobre o que importa para o seu dinheiro.

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *