Como declarar investimentos no Imposto de Renda 2021

Dependendo do valor, a inclusão de dados de investimentos é facultativa. É importante declarar todos os investimentos obrigatórios, mesmo os de aplicações que têm rendimentos isentos.

melissa nunes perfil
Melissa Nunes

Como declarar investimentos no Imposto de Renda 2021

Chegou o momento de acertar as contas com o Leão. Aí, sempre bate aquela dúvida: como declarar investimentos no Imposto de Renda?

Esse não é um processo exatamente difícil, mas tem vários detalhes. Por isso, é preciso ter atenção para evitar problemas com a malha fina.

Continua após a publicidade

Se esse é o seu caso, saiba que pode relaxar, pois está no lugar certo. Neste post, vamos apresentar todos os detalhes sobre o Imposto de Renda 2021, ano-calendário 2020.

Continue lendo e confira como declarar:

  • renda fixa tributável e não tributável;
  • fundos de investimento;
  • fundos de investimento imobiliário;
  • ações;
  • fundos de índice (ETF);
  • criptomoedas;
  • investimentos no exterior; e
  • previdência privada.

Como saber se preciso fazer a declaração do Imposto de Renda?

lagarto e leão representando declaração do imposto de renda

No fim de fevereiro o governo divulgou os detalhes sobre como declarar investimentos no Imposto de Renda ano-calendário 2020.

Continua após a publicidade

Então, no IRPF 2021, as exigências para a obrigatoriedade de declaração permaneceram iguais às de 2020. Em resumo, precisa declarar quem, em 2020:

  • recebeu rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70. Aqui, estão incluídos salários, bônus da empresa e mais;
  • recebeu rendimentos isentos, tributados exclusivamente na fonte ou não tributáveis acima de R$ 40.000;
  • apresentou receita bruta acima de R$ 142.798,50 em atividade rural;
  • pretende compensar prejuízos com atividade rural de anos-calendário anteriores ou ao ano-calendário de 2020;
  • tinha propriedade de bens acima de R$ 300.000 em 31/12;
  • obteve ganhos de capital ao alienar bens ou direitos, ou fez aplicações financeiras na bolsa de valores, mercadorias e futuros ou semelhantes;
  • vendeu imóvel residencial e usou o recurso para compra de outra residência no prazo de 180 dias para isenção de IR;
  • passou à condição de residente no Brasil em qualquer mês do ano e permaneceu nessa condição em 31/12.

No caso dos investimentos, perceba que a obrigatoriedade se restringe aos da renda variável. Na renda fixa, é preciso passar da cota para existir essa exigência.

Preciso pagar Imposto de Renda sobre os meus investimentos?

mulher tentando pagar com notas pelo computador representando imposto de renda

Depende dos seus ganhos, da aplicação financeira realizada e da existência de uma cota de isenção. Ou seja, ter a obrigação de declarar o IR nem sempre significa ter que pagar o tributo.

Existem várias aplicações isentas, como você verá ao longo deste artigo. Além disso, muitas outras exigem a quitação dos impostos por meio do Documento de Arrecadação de Receitas Federais (DARF).

Continua após a publicidade

Nesse caso, a declaração serve apenas para comprovar que os impostos foram quitados e fazer um ajuste, quando necessário. Na maioria das vezes, não há cobranças.

Quais os documentos necessários para declarar meus investimentos?

homem mostrando documentos

Primeiro, você precisa baixar o programa da Receita Federal. Ele está denominado “Programa IRPF 2021”.

A partir do download do programa, você deve abri-lo e importar os dados da declaração anterior ou começar do zero.

No segundo caso, será preciso inserir seus dados pessoais na ficha “Identificação do contribuinte” – “Declaração de ajuste anual original”. Os dados a preencher são:

  • CPF;
  • nome completo;
  • número do recibo da declaração entregue em 2020, referente ao ano-calendário 2019;
  • data de nascimento;
  • número do título eleitoral;
  • endereço completo.

Para declarar os investimentos, especificamente, é necessário ter em mãos os seguintes documentos:

  • informes de rendimentos das fontes pagadoras, como empresas, governo e pessoas físicas;
  • comprovantes de rendimentos de aplicações realizadas em bancos e corretoras de valores;
  • notas de corretagem, caso tenha realizado operações em bolsa de valores;
  • DARFs, caso tenha feito esse tipo de pagamento ao longo de 2020.

Os informes e os comprovantes de rendimentos devem ter sido disponibilizados pelas instituições até o dia 26 de fevereiro. Mas, caso você não tenha recebido, entre em contato ou verifique no seu perfil da corretora.

Continua após a publicidade

Como declarar investimentos no Imposto de Renda 2021?

Agora chegamos à parte de colocar a mão na massa! Não precisa ter medo. Apesar de existirem vários menus no programa da Receita Federal, você vai entender para qual finalidade cada um deles serve.

Há aqueles voltados para os rendimentos tributados, outros são direcionados para os não tributados e, por fim, aqueles que mostram quais bens e direitos você realmente tem.

Qualquer que seja o seu caso, abra o programa do Leão e enfrente-o! Seguindo este passo a passo, você verá que será muito mais fácil. Vamos lá?

Como declarar renda fixa

Você tem um perfil mais conservador? A sua carteira é formada por investimentos da renda fixa? Então, precisa declarar se o saldo em algum dos títulos ficar acima de R$ 140.

Continua após a publicidade

Essa regra vale para diferentes ativos. No entanto, a cobrança do IR costuma acontecer por meio da retenção na fonte. Na prática, a própria instituição financeira já faz o recolhimento do valor devido.

Além disso, muitos investimentos são isentos. Para mostrar o passo a passo de cada caso, dividimos em duas categorias.

Investimentos tributáveis

Aqui, estão incluídos:

Depois de reunir todos os dados, execute as seguintes etapas:

  1. acesse a ficha “Bens e direitos”;
  2. clique no botão “Novo”;
  3. escolha o código “45 – Aplicação de renda fixa”;
  4. coloque o CNPJ do banco ou da corretora de valores em que você fez o investimento;
  5. em “Discriminação”, digite o nome do título, por exemplo, “Título do Tesouro Direto”;
  6. coloque o saldo dos investimentos nos campos “Situação em 31/12/2019”“Situação em 31/12/2020”. Os dados estarão no Informe de Rendimentos.

Em relação aos ganhos obtidos com esses investimentos, o processo é diferente. Veja os passos abaixo:

  1. acesse a ficha “Rendimentos sujeitos à tributação exclusiva/definitiva”;
  2. clique no botão “Novo”;
  3. selecione o código “06 – Rendimentos de aplicações financeiras”;
  4. insira os dados solicitados: nome do beneficiário, CNPJ da fonte pagadora (corretora de valores ou banco), nome da fonte pagadora e valor dos ganhos. Esses dados também estarão no Informe de Rendimentos.

Investimentos isentos

Entre as aplicações financeiras isentas, estão:

  • poupança;
  • Letras de Crédito Imobiliário (LCI) e do Agronegócio (LCA);
  • Certificados de Recebíveis Imobiliário (CRI) e do Agronegócio (CRA);
  • debêntures incentivadas.

Nesse caso, a declaração deve ser feita da seguinte forma:

  1. acesse a ficha “Rendimentos isentos e não tributáveis”;
  2. clique em “Novo”;
  3. selecione o código “45 – Aplicação de renda fixa”;
  4. insira o nome e o CNPJ da fonte pagadora e o saldo disponível, conforme o Informe de Rendimentos.

A única exceção é a poupança. Nesse caso, uma etapa é diferente. Veja:

  1. acesse a ficha “Rendimentos isentos e não tributáveis”;
  2. clique em “Novo”;
  3. selecione o código “41 – Caderneta de poupança”;
  4. insira o nome e o CNPJ da fonte pagadora e o saldo disponível, conforme o Informe de Rendimentos.
papel com números e uma calculadora, uma caneta e um clips em cima
A declaração dos investimentos em renda fixa depende deles serem tributáveis ou isentos.

Como declarar fundos de investimento

Os fundos de investimentos são classificados como:

  • de curto prazo: têm vencimento menor do que 365 dias. É o caso da maior parte dos fundos de renda fixa;
  • de longo prazo: têm vencimento acima de 365 dias. Um exemplo são os multimercado.

Em ambos os casos, a alíquota do IR segue a tabela abaixo:

aplicações…

  • até 180 dias: 22,5%;
  • de 181 a 360 dias: 20%;
  • de 361 a 720 dias: 17,5%;
  • acima de 720 dias: 15%.

Aqui, estão excluídos os fundos de ações, de índices (ETFs) e de investimento imobiliário (FIIs). O restante dos fundos de investimento segue essa regra.

Continua após a publicidade

Você ainda precisa conhecer o come-cotas. Esse termo denomina a cobrança antecipada do IR feita a cada 6 meses, sempre no último dia útil de maio e novembro.

A cobrança é de 15%. Assim, é feito o resgate parcial das cotas do investidor. Como isso interfere ao saber como declarar seus investimentos no Imposto de Renda?

Basicamente, você receberá a taxação apenas em relação à diferença entre o que foi pago no come-cotas e a alíquota da tabela apresentada acima.

Por exemplo, se você tiver um fundo de investimento com prazo superior a 720 dias, não precisará pagar mais nada. Isso porque come-cotas e alíquota do IR se equivalem.

Continua após a publicidade

Se o prazo ficar entre 361 e 720 dias, será necessário pagar 2,5 pontos percentuais. Agora, vamos à declaração propriamente dita?

Rendimentos

Comece pelos rendimentos. Para isso, siga as etapas abaixo:

  1. acesse a ficha “Rendimentos sujeitos à tributação exclusiva/definitiva”;
  2. clique no botão “Novo”;
  3. selecione o código “06 – Rendimentos de aplicações financeiras”;
  4. insira o CNPJ e o nome da fonte pagadora e o valor da quantia obtida em 2020. Use as informações do informe de rendimentos.

Saldo

Em seguida, declare o saldo dos fundos. As etapas são:

  1. acesse a ficha “Bens e direitos”;
  2. clique no botão “Novo”;
  3. escolha o código de acordo com o regime de tributação do fundo:
    1. curto prazo: “71 – Fundo de curto prazo”;
    2. longo prazo: “72 – Fundo de longo prazo e fundo de investimentos em direitos creditórios (FIDC)”;
  4. insira o CNPJ da fonte pagadora;
  5. digite o CNPJ e o nome do fundo no campo “Discriminação”;
  6. coloque os valores do Informe de Rendimentos nos campos “Situação em 31/12/2019” “Situação em 31/12/2020”;

Como declarar fundos de investimentos imobiliários (FIIs)

Caso você precise declarar fundos imobiliários, existem duas situações possíveis: declarar apenas a sua custódia ou, caso você tenha vendido alguma cota, declarar lucro ou prejuízo.

Para declarar apenas o saldo do fundo imobiliário (ou seja, caso você não tenha feito nenhuma venda), as etapas a serem executadas são:

  1. acesse a ficha “Bens e direitos”;
  2. clique no botão “Novo”;
  3. escolha o código “73 – Fundo de investimento imobiliário”;
  4. insira o CNPJ da fonte pagadora;
  5. digite o CNPJ e o nome do fundo no campo “Discriminação”, além do total de cotas atual, nome da corretora de valores custodiante e o valor total da posição;
  6. coloque os valores do Informe de Rendimentos nos campos “Situação em 31/12/2019” “Situação em 31/12/2020”. O primeiro deve ser mantido zerado. O segundo deve conter o valor total de compra das cotas declaradas.

Nesse caso, os custos operacionais devem ser incluídos. Entre eles estão os emolumentos e a taxa de corretagem.

Continua após a publicidade

Agora, se você vendeu cotas, saiba que deverá gerar um DARF pelo Sicalcweb (caso o lucro tributável seja igual ou maior a R$ 10).

O procedimento é feito totalmente online e deve ocorrer no mês seguinte ao da comercialização das cotas.

Na declaração de ajuste anual, a alíquota do IR é de 20% sobre o lucro. O formulário deve ser preenchido com os ganhos da seguinte forma:

  1. acesse a ficha “Renda variável”;
  2. selecione o item “Operações fundos de investimentos imobiliários”;
  3. inclua os valores mês a mês na tabela apresentada. É preciso colocar o valor líquido, ou seja, que considera o desconto de emolumentos e taxas.
  4. insira quanto foi pago de imposto na DARF na coluna “Imposto retido no mês (Lei 11.033/2004)”.

Caso exista divergências na coluna “Imposto pago”, reveja os dados. Nesse caso, é provável que existam impostos atrasados para recolhimento.

Continua após a publicidade

Proventos

No caso dos FIIs, também é preciso declarar os ganhos recebidos. Eles podem ser:

  • isentos: derivam da exploração de imóveis que compõem o fundo, por exemplo, por meio de aluguel e venda;
  • tributáveis: aparecem na valorização das cotas.

De modo geral, se você tem uma renda constante com o FII, tem isenção do IR. Para isso, o fundo deve ser negociado somente na bolsa de valores e ter mais de 50 cotistas.

Além disso, você deve ter até 10% das cotas, no máximo. Mas não se preocupe, pois, geralmente, é preciso um caminhão de dinheiro para chegar a esse ponto.

Para declarar os proventos, realize as seguintes etapas:

  • acesse a ficha “Rendimentos isentos e não tributáveis”;
  • clique no botão “Novo”;
  • selecione o código “26 – Outros”;
  • insira os dados: CNPJ e nome da fonte pagadora, descrição “Dividendos de fundos imobiliários” e valor recebido durante o ano.
leão com a boca aberta rugindo
Para declarar os ativos, é preciso verificar os detalhes. Caso contrário, a “bocada do Leão” pode ser grande.

Como declarar ações

A declaração de ações é obrigatória, qualquer que seja o volume de negociação. No entanto, existe um detalhe importante: os ganhos de até R$ 20 mil em operações comuns são isentos de IR.

Por isso, é preciso dividir a declaração entre swing trade e day trade, e vendas acima e abaixo de R$ 20 mil.

Continua após a publicidade

Muito complexo? Vamos explicar melhor a seguir. Acompanhe!

Custódia

Se você apenas comprou e não vendeu nenhuma ação, precisa declarar apenas a custódia, ou seja, o que você tinha em carteira no último 31/12.

  1. acesse a ficha “Bens e Direitos”;
  2. clique no botão “Novo”;
  3. selecione o código “31 – Ações (inclusive as provenientes de linha telefônica)”;
  4. em “Discriminação”, digite algo como: “Ações: xxx. Nome da empresa, CNPJ xx.xxx.xxx/0001-xx. Nome da corretora, CNPJ. Quantidade de ações: xxx”
  5. em “Situação em 31/12/2019”, informe a posição acionária, caso tivesse;
  6. em “Situação em 31/12/2020”, informe a posição acionária;

Pronto! Depois, é só repetir o processo para todas as ações que você tiver.

Se houve vendas ao longo do ano, acompanhe os passos abaixo para declarar lucro e prejuízo e, em seguida, seus rendimentos.

Vendas (swing trade)

As transações de swing trade são as operações comuns no formulário do Imposto de Renda, mas elas podem estar isentas de tributação. Por isso, vale a pena ficar de olho em qual é o seu caso.

Se movimentar mais de R$ 20 mil, precisará pagar o imposto sobre lucro das ações vendidas por meio do DARF. Na declaração de ajuste anual, execute as etapas a seguir:

Continua após a publicidade

  1. acesse a ficha “Renda variável”;
  2. escolha o item “Operações comuns/day trade”;
  3. insira os dados de acordo com o mês, na categoria “mercado à vista”.

Caso tenha registrado prejuízo, coloque um sinal de negativo na frente do número. Esses valores serão incluídos de forma automática na linha “Prejuízo a compensar” no campo “Resultados”.

Já as operações de venda de até R$ 20 mil, declare da seguinte forma:

  • acesse a ficha “Rendimentos isentos e não tributáveis”;
  • clique em “Novo”;
  • escolha o código “20 – Ganhos líquidos em operações no mercado à vista de ações negociadas em bolsas de valores nas alienações realizadas até R$ 20.000,00 em cada mês, para o conjunto de ações”;
  • insira o valor.

Day trade

As operações de day trade devem ser declaradas de acordo com os passos abaixo:

  1. acesse a ficha “Renda variável”;
  2. escolha o item “Operações comuns/day trade”;
  3. insira os dados de acordo com o mês, na categoria “mercado à vista”.

Caso tenha registrado prejuízo, coloque um sinal de negativo na frente do número. Esses valores serão incluídos de forma automática na linha “Prejuízo a compensar” no campo “Resultados”.

Dividendos

Para declarar os seus rendimentos isentos com dividendos, execute os seguintes passos:

  1. acesse a ficha “Rendimentos isentos e não tributáveis”;
  2. clique em “Novo”;
  3. selecione o código “09 – Lucros e dividendos recebidos”;
  4. insira o CNPJ e o nome da fonte pagadora, e o valor obtido com o dividendo.

Juros sobre capital próprio (JCP)

Os JCP sofrem cobrança de IR. A declaração desses dados deve ser feita da seguinte maneira:

  1. acesse a ficha “Rendimentos sujeitos à tributação exclusiva/definitiva”;
  2. clique em “Novo”;
  3. selecione o código “10 – Juros sobre capital próprio”;
  4. digite o CNPJ e o nome da fonte pagadora e o valor recebido, de acordo com o Informe de Rendimentos.

Atenção! Se os juros sobre capital próprio tiveram seu pagamento anunciado, mas o valor não foi efetivamente repassado (crédito em trânsito), além de declarar os rendimentos, você deve fazer outro procedimento.

Continua após a publicidade

Esse é o caso da divulgação de pagamento dos JCP em dezembro de 2020, com o dinheiro entrando na sua conta somente em 2021. Veja o que fazer:

  1. acesse a ficha “Bens e direitos”;
  2. clique em “Novo”;
  3. escolha o código “99 – Outros bens e direitos”;
  4. coloque “pagamento pendente de juros sobre capital próprio”, o nome e o CNPJ da companhia e o valor que ainda será pago no campo “Discriminação”;
  5. digite R$ 0 no campo “Situação em 31/12/2019”. Em “Situação em 31/12/2020”, insira a quantia que será recebida e está pendente.

Como declarar ETF

Os Exchange Traded Funds — ou fundos de índice — são diferentes de outros fundos de investimento. Por isso, serão tratados agora. Nesse caso, a declaração segue as etapas abaixo:

  1. acesse a ficha “Bens e direitos”;
  2. clique em “Novo”;
  3. selecione o código “74 – Fundo de ações, fundos mútuos de privatização, fundos de investimento em empresas emergentes, fundos de investimento em participação e fundos de investimentos de índice de mercado”;
  4. insira o CNPJ da fonte pagadora;
  5. digite o CNPJ e o nome da administradora do fundo no campo “Discriminação”, além do total de cotas atual, nome da corretora de valores custodiante e o valor total da posição;
  6. coloque os valores do Informe de Rendimentos nos campos “Situação em 31/12/2019” “Situação em 31/12/2020”. O primeiro deve ser mantido zerado. O segundo deve conter o valor total de compra das cotas declaradas.

Por fim, para saber como declarar esses investimentos no Imposto de Renda, você também deve entender o que fazer com os ganhos derivados das vendas de cotas. Nesse caso, execute as etapas:

  1. acesse a ficha “Renda variável”;
  2. escolha o item “Operações comuns/day trade”;
  3. insira os dados de acordo com o mês, na categoria “mercado à vista”.

Como declarar criptomoedas

Os investimentos em bitcoins e outras criptomoedas também devem ser declarados. Primeiramente, saiba que as informações das operações devem ser enviadas sempre no mês seguinte.

Continua após a publicidade

A declaração mensal é obrigatória e independe da anual. Além disso, a tributação é feita como ganho de capital quando os ganhos obtidos no mês são superiores a R$ 35 mil. Nesse caso, a tabela utilizada como base é a seguinte:

  • abaixo de R$ 5 milhões: alíquota de 15%;
  • entre R$ 5 milhões e R$ 10 milhões: alíquota de 17,5%;
  • entre R$ 10 milhões e R$ 30 milhões: alíquota de 20%;
  • acima de R$ 30 milhões: alíquota de 22,5%.

Para a declaração anual de criptomoedas, faça o seguinte:

  1. acesse a ficha “Bens e direitos”;
  2. clique em “Novo”;
  3. selecione o código “82 – Criptoativo Bitcoin (BTC)” para Bitcoins ou “82 – Outros criptoativos, do tipo moeda digital (altcoins, como Ether)” ou ainda “89 – Demais criptoativos (não considerados moedas digitais, mas classificados como security tokens)”;
  4. insira os dados de compra dos bens. Aqui, ignore o valor atual do mercado;
  5. insira a quantidade de cotas, nome e CNPJ da corretora de valores, cotação do dia da compra e outras informações que achar relevantes no campo “Discriminação”.

Lembre-se de considerar o valor pago em cada uma das operações de compra de criptomoedas.

Como declarar investimentos no exterior

Os investimentos feitos no exterior, inclusive os Brazilian Depositary Receipts (BDRs), também devem ser declarados. Nesse caso, o procedimento deve ser feito da seguinte maneira:

  1. acesse a ficha “Bens e direitos”;
  2. clique em “Novo”;
  3. selecione o código de acordo com o bem que corresponde ao tipo de ativo. Por exemplo, 11 para apartamento, 64 para dinheiro em espécie etc;
  4. especifique o país do investimento no campo “Localização (país)”;
  5. declare a aplicação financeira conforme o valor investido e o câmbio no dia do investimento. O saldo permanece inalterado até o resgate ou novas aplicações.

Para declarar os rendimentos com ganho de capital, utilize o programa Ganhos de Capital na versão 2021. Esse processo deve ser feito no mês da venda do ativo.

Continua após a publicidade

Depois, essas informações devem ser repassadas para a declaração do IR. Esses lucros são tributados conforme a tabela progressiva do IR.

Ela varia de 15% (abaixo de R$ 5 milhões) a 22,5% (acima de R$ 30 milhões), como já apresentado. Além disso, o IR de lucros, rendimentos ou dividendos devem ser recolhidos mensalmente pelo carnê leão da Receita Federal.

A declaração desses ganhos devem ser realizados da seguinte forma:

  1. acesse a ficha “Rendimentos tributáveis recebidos de PF/exterior”.
  2. clique na aba “Outras informações”.
  3. pressione o botão “Importar dados”. Todas as informações serão preenchidas de modo automático.

Como declarar previdência privada

Para declarar investimentos no Imposto de Renda que se referem à previdência privada, é preciso separar os planos. Isso porque cada um deles exige um procedimento diferente.

Entenda mais a seguir e saiba o que fazer.

VGBL

O Vida Gerador de Benefício Livre é como um seguro de vida. A diferença é que os beneficiários têm direito ao saldo acumulado em situação de morte ou invalidez do titular.

Continua após a publicidade

Além disso, não há benefícios tributários. Por isso, esse plano é recomendado para quem preenche o formulário simplificado do IR.

Apesar disso, no momento do resgate, o tributo incide somente sobre a remuneração. Portanto, o valor pago é menor.

Para fazer a declaração do VGBL, as etapas são:

  1. acesse a ficha “Bens e direitos”;
  2. clique em “Novo”;
  3. selecione o código “97 – Vida Gerador de Benefício Livre”;
  4. insira o CNPJ da seguradora e, no campo “Discriminação”, coloque as informações da apólice, inclusive o número da sua conta;
  5. preencha os campos “Situação em 31/12/2019” “Situação em 31/12/2020” conforme o Informe de Rendimentos. Lembre-se de que o que vale, aqui, é o saldo bruto.

PGBL

Para o Plano Gerador de Benefício Livre, você tem a vantagem de poder deduzir até 12% da renda bruta anual. Apesar de não ser uma isenção, é um adiamento do pagamento dos valores.

Com isso, no saque, você é tributado sobre o montante total disponível na sua conta. Ou seja, aqui são incluídos aportes e remuneração.

Continua após a publicidade

Para fazer o abatimento dos valores, é preciso preencher a declaração pelo formulário completo. Assim, a declaração dos investimentos em PGBL no IR deve ser feita da seguinte forma:

  1. acesse a ficha “Pagamentos efetuados”;
  2. clique no botão “Novo”;
  3. selecione o código “36 – Previdência complementar”;
  4. insira o CNPJ, o nome da instituição responsável pelo plano de previdência privada e o valor pago. Perceba que o que vale são apenas as contribuições feitas durante o ano.

Resgates

Os saques dos planos de previdência privada exigem declaração diferenciada. O processo depende da tabela em que o titular está inserido.

Veja o que fazer no regime regressivo:

  1. acesse a ficha “Rendimentos sujeitos à tributação exclusiva/definitiva”;
  2. clique em “Novo”;
  3. selecione o código “6 – Rendimentos de aplicações financeiras”;
  4. insira o CNPJ, o nome da fonte pagadora e o valor resgatado.

Se a tabela for a progressiva, faça os seguintes passos:

  1. acesse a ficha “Rendimentos tributáveis recebidos de pessoa jurídica”;
  2. clique no botão “Novo” na aba escolhida, que pode ser para titular ou dependente;
  3. preencha os valores de acordo com o Informe de Rendimentos. No caso do PGBL, coloque as contribuições e os resgates. Se tiver um VGBL, discrimine os resgates feitos.

6 cuidados ao fazer a declaração do Imposto de Renda

homem apontando para a própria cabeça em sinal de inteligência

Um dos principais receios de quem faz a declaração de investimentos no IR é cair na malha fina. Mas o que isso significa?

Basicamente, que sua declaração foi auditada pela Receita Federal e foram identificadas inconsistências. A partir disso, é necessário fazer as alterações. Além disso, são aplicadas multas.

Continua após a publicidade

O ponto positivo é a possibilidade de preencher o formulário de forma correta e deixar de lado qualquer medo. Como fazer isso? É só tomar os seguintes cuidados.

1. Tenha em mãos todos os documentos com antecedência

Além dos seus dados pessoais, você precisa ter os registros das suas movimentações financeiras e dos seus dependentes. Por isso, reúna todos os Informes de Rendimentos relativos a 2020.

Eles devem ter sido enviados até 26 de fevereiro por seu banco, corretora de valores, instituição de previdência privada e mais. Assim, você evita divergências nos dados.

2. Use os dados da sua declaração anterior

Importe os dados diretamente pelo programa da Receita Federal, pois isso facilita muito o processo de preenchimento e evita erros.

Continua após a publicidade

Se for impossível, utilize os dados, pelo menos. Insira-os manualmente, porque isso já ajuda a preencher tudo corretamente.

3. Divida os rendimentos em tributáveis e não tributáveis

Como você viu, vários ganhos são tributados, enquanto outros são isentos. Separe-os de forma antecipada para evitar falhas. Assim, você insere cada um dos valores na ficha certa.

4. Declare sempre os valores certos

Nunca informe um valor mais baixo do que o realmente obtido. Caso contrário, você poderá cair na malha fina e sofrer a aplicação de multas. Por isso, sempre revise os dados e analise as pendências.

5. Defina o melhor modelo de declaração

O formulário simplificado oferece um desconto padrão de 20% sobre todos os rendimentos tributáveis. Por outro lado, o completo calcula todas as deduções legais.

Continua após a publicidade

A parte positiva é que o programa calcula de forma automática. Assim, você pode escolher quele que apresentar a melhor restituição ou o menor valor a pagar.

Isso só não vale para quem tem o PGBL. Nesse caso, opte pela declaração completa para evitar o pagamento em duplicidade do IR.

Isso acontece porque o modelo da previdência permite a dedução de 12% da renda bruta tributável. Se você ignorar essa vantagem, pagará tanto na declaração anual quanto no resgate.

6. Cumpra o prazo definido pela Receita Federal

O período para entrega do IR 2021 vai de 01/03 até 31/04 às 23:59.

Cumprir esse prazo é fundamental. Caso contrário, você deverá pagar uma multa de, no mínimo, R$ 165,74 — esse era o valor determinado para 2020.

Continua após a publicidade

BÔNUS: preciso contratar um contador para fazer minha declaração?

Nem sempre. Você pode ter o apoio de um profissional, se tiver medo de errar. No entanto, é possível fazer a declaração sem esse auxílio.

A vantagem de contratar um contador é não precisar se preocupar com os dados, já que você apenas entrega todas as informações e aguarda.

Por outro lado, há muitos profissionais que não conhecem todos os detalhes do IR. Por exemplo, existem investimentos recentes, como os BDRs, que podem causar confusão.

Assim, a chance de você cair na malha fina é maior. Então, como escolher o contador?

Continua após a publicidade

O melhor é verificar que ele tem amplos conhecimentos. Dessa forma, você evita problemas no repasse de informações à Receita Federal.

Caso opte por fazer sem ajuda, você deve apenas seguir as orientações já repassadas. Pode ter certeza: não vai ter erro se seguir o passo a passo!

Conclusão

Saber como declarar os investimentos no Imposto de Renda pode ser difícil, porque os detalhes são variados. Ainda assim, não é um “bicho de sete cabeças”. Aliás, está muito longe disso!

Você tem várias oportunidades de aprender com a declaração do IR. Inclusive, tem a chance de evitar falhas ao longo do ano.

Continua após a publicidade

Como? É o caso das aplicações financeiras que exigem a geração de DARF mensal, por exemplo. Mas agora você já sabe o que fazer em cada um desses casos, certo?

Então, que tal aplicar as informações sobre como declarar investimentos no Imposto de Renda? Pode dar um trabalhinho, mas vai valer muito a pena.

Gostou das dicas para declarar o seu IR? Então, assine a newsletter do iDinheiro e ative as notificações push para receber mais informações úteis!

Continua após a Publicidade

Comunidade iDinheiro
Pergunte à comunidade ➔

4 comentários

  1. Márcia

    Fantástico esse artigo, esclareceu minhas dúvidas. Muito Obrigda por seu esclarecimento.

  2. Carol Arêas

    Ótimo esse artigo! Muito completo e esclarecedor. Parabéns Mel e toda equipe do iDinheiro!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Logo iDinheiro

Newsletter iDinheiro: receba novidades sobre o que importa para o seu dinheiro.

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.