Descubra como declarar financiamento no Imposto de Renda

Quer saber como declarar financiamento no Imposto de Renda? Neste guia explicamos como fazer para imóveis e veículos. Saiba mais!

WhatsApp Image 2021-03-04 at 08.45.03
Julyana Andrade

Descubra como declarar financiamento no Imposto de Renda

Você tem dúvidas sobre a melhor forma de declarar financiamento no Imposto de Renda? É provável que sim. Afinal, há vários detalhes dessa operação que precisam ser analisados.

Por exemplo, é preciso colocar o valor total? Ou somente o que foi pago até agora? Será que você tem a obrigação de declarar o Imposto de Renda por conta do bem que possui?

Continua após a publicidade

Todos esses questionamentos são válidos, mas acredite: é possível entender exatamente como funciona. Para facilitar, criamos este conteúdo com as indicações de forma objetiva. Aqui, você verá:

  • É preciso declarar financiamento no Imposto de Renda?
  • Como declarar imóvel financiado?
  • Pode declarar as reformas que foram feitas no imóvel?
  • Como declarar veículo financiado?

É preciso declarar financiamento no Imposto de Renda?

Se você comprou uma casa ou um carro em 2020, saiba que tem a obrigação de declarar o financiamento no Imposto de Renda 2021. O motivo é simples: você precisa acertar as contas com o Leão.

Continua após a publicidade

giphy

Nesse momento, você deve saber que o procedimento deve ser feito no prazo indicado, ou seja, de 1º de março a 30 de abril de 2021.

Além disso, é necessário fazer a declaração do financiamento no IR mesmo que seja a sua primeira vez e você não se encaixe em outros critérios.

Por isso, é melhor arregaçar as mangas, baixar o programa e fazer tudo certinho. Essa é a única chance de não cair na malha fina.

Como declarar imóvel financiado?

Antes de tudo, saiba que o financiamento imobiliário deve ser declarado de acordo com o que foi pago até agora. Ou seja, esqueça o valor total e os juros.

Continua após a publicidade

Para entender melhor, imagine que você tenha comprado um apartamento de R$ 250 mil. No entanto, você pagou a entrada de R$ 70 mil e mais algumas parcelas que totalizaram R$ 10 mil, por exemplo.

Nesse caso, você deverá declarar o montante de R$ 80 mil, que é a quantia que efetivamente saiu do seu bolso para essa finalidade.

Por isso, aos poucos você faz a atualização do valor do bem até chegar aos R$ 250 mil do exemplo citado.

Mais do que saber isso, é importante ter todos os dados para o preenchimento da declaração. Aqui, é preciso informar:

Continua após a publicidade

  • endereço do imóvel;
  • matrícula atualizada;
  • cartório em que o registro foi realizado;
  • inscrição municipal;
  • data de compra.

Todas essas informações estarão dispostas nos próprios documentos do financiamento e de registro do bem. É só fazer a consulta certinho.

Caso você não tenha registrado o imóvel no cartório, pode ter algum cadastro de identificação. Já está valendo, ok?

Agora, vamos para a parte prática: o preenchimento da declaração. Veja o que fazer em cada etapa.

Acesse o programa da Receita Federal

Baixe a versão 2021 do programa da Declaração do Imposto de Renda Pessoa Física. Ela está disponível no próprio site da Receita Federal.

Continua após a publicidade

Siga os passos da instalação. Assim que terminar, coloque seus dados pessoas na aba “Identificação do contribuinte”. Lembre-se de que você precisará do número do recibo da declaração anterior, se já tiver feito o procedimento antes.

Entre na ficha “Bens e direitos”

O imóvel financiado deve ser declarado na ficha “Bens e direitos”. Clique no menu e faça o seguinte:

  • clique em “Novo” para fazer uma entrada diferente;
  • selecione o código correspondente ao bem a ser declarado. No caso de imóveis, as opções são:
    • 11 – apartamento;
    • 12 – casa;
    • 13 – terreno.
  • especifique se o bem ou direito pertence a você, titular, ou a um dependente, como seu filho;
  • mantenha a localização “105 – Brasil”, se o imóvel estiver no País;
  • insira no campo “Discriminação” os dados dos vendedores da residência. Aqui, devem ser incluídos nome, CNPJ ou CPF, informação de que a compra foi financiada e valor total do bem. Além disso, coloque o número do IPTU, a área do carnê, o endereço do local, a inscrição municipal, a matrícula do imóvel e em qual cartório foi registrado;
  • digite as respectivas quantias nos campos “Situação em 31/12/2019”“Situação em 31/12/2020”. No primeiro, deixe zerado, se o financiamento do imóvel foi feito em 2020. No segundo, coloque o que já foi efetivamente pago, como explicamos.
mãe, pai e filho sentados no chão de uma casa. Os pais seguram uma madeira que simula uma casa para sinalizar a compra recente. Ao lado deles, várias caixas de mudança
A declaração de imóvel financiado no IR vale a partir do valor já pago, mas você deve colocar o total no campo de discriminação.

Pode declarar as reformas que foram feitas no imóvel?

Sim! As reformas consistem em melhorias para o imóvel. Então, a Receita Federal quer saber das mudanças.

Por quê? A resposta é muito fácil: além do controle do que o contribuinte faz ou paga, o Leão considera essas reformas pelo acréscimo no valor total do bem.

Continua após a publicidade

É claro que você deve ter guardado todas as notas fiscais dos valores gastos. De toda forma, a quantia investida deve ser acrescentada ao montante total informado anualmente.

Entenda como fazer bem certinho:

  • acesse a guia “Bens e direitos”;
  • escolha a opção “Benfeitorias”, na linha 17;
  • detalhe o que foi realizado, os valores desembolsados e conte com os comprovantes de pagamento. Coloque corretamente a quantia específica da mão de obra, dos materiais e das notas de compra.

Como declarar veículo financiado?

Agora que você já sabe como preencher a parte dos imóveis, chega o momento de declarar o financiamento de veículos no Imposto de Renda. Veja o que fazer!

Tenha os documentos em mãos

Primeiro, saiba que você precisa ter em mãos o número do Registro Nacional de Veículos Automotores (Renavam). Essa informação é obrigatória desde 2019.

Você ainda precisará dos seus documentos pessoais e dos dados do vendedor e da instituição financiadora. Isso deve estar descrito no contrato.

Continua após a publicidade

Ignore os juros

Em seguida, é preciso entender que a declaração de financiamento no IR é sempre similar. Portanto, o que vale é o valor do carro descrito na nota fiscal. Aqui, você também deve esquecer os juros e o valor total.

Por isso, se o veículo for comprado por R$ 30 mil, mas você vai pagar R$ 40 mil devido aos juros, considere o primeiro valor, ok?

Faça a declaração do financiamento no IR

Para esse procedimento, execute as seguintes etapas:

  • acesse a ficha “Bens e direitos”;
  • escolha o código “21 – Veículo automotor terrestre – caminhão, automóvel, moto etc.”;
  • inclua o número do Renavam no campo de mesmo nome;
  • descreva a compra no campo “Discriminação”. Especifique que foi financiada, o valor pago, os dados do vendedor (nome, CPF ou CNPJ e endereço), o modelo do carro, ano/modelo do veículo, valor total de compra e como está sendo feito o pagamento;
  • digite os valores nos campos “Situação em 31/12/2019”“Situação em 31/12/2020”. No primeiro, deixe zerado, se a compra foi feita em 2020. No segundo, coloque o valor já pago até o último dia do ano anterior.

Perceba que o processo é bem parecido com o do imóvel. Por isso, valem as mesmas regras. Inclusive, para melhorias, como o tuning.

giphy
Não é para fazer isso, tá? Mas a Receita quer saber se você turbinar o automóvel.

Ficou claro? Agora é só baixar o programa da Receita Federal e preencher os dados. O mais difícil, que é entender como declarar financiamento no Imposto de Renda, você já sabe. Então, que tal aproveitar as dicas?

Se você quer saber mais informações sobre o Imposto de Renda, aproveite e assine a newsletter do iDinheiro. Assim, você fica sabendo de todos os detalhes e evita cair na malha fina!

Continua após a Publicidade

Comunidade iDinheiro
Pergunte à comunidade ➔
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Logo iDinheiro

Newsletter iDinheiro: receba novidades sobre o que importa para o seu dinheiro.

    Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.