Empréstimo e Financiamento

Como as Empresas podem Conseguir Empréstimos para Pagar os Funcionários na Quarentena?

Flávio Mariano
Como as Empresas podem Conseguir Empréstimos para Pagar os Funcionários na Quarentena?

O governo liberou uma linha de crédito específica, de R$ 40 bilhões, para que as empresas possam pagar os seus funcionários. Entenda como ela funciona e como solicitá-la.

Artigo foi originalmente publicado pelo site Conta em Banco que, desde julho de 2020, faz parte do iDinheiro. Conteúdo e comentários foram integralmente mantidos.

No final de março, o governo anunciou que iria liberar um investimento de R$ 40 bilhões, R$ 20 bilhões por mês durante dois meses, para as pequenas e médias empresas. Este valor irá atender cerca de 1,4 milhões de empresas e, assim, conseguir beneficiar 12,2 milhões de trabalhadores. Ainda, a maior parte desta verba, cerca de 85%, será injetada na economia pelo governo federal. Já os outros 15% será inserido pelos bancos privados. Ou seja,o governo ficará responsável pelo maior risco de inadimplência.

Este investimento é voltado para que estas empresas, de pequenas a médias, possam realizar o pagamento dos seus funcionários. Em troca para receber este investimento, as empresas terão que se comprometer a não demitir seus funcionários, devido à crise do coronavírus.

Continua após a publicidade:

Para receber este investimento, as empresas devem possuir o faturamento entre R$ 360 mil e R$ 10 milhões por ano, com os juros de 3,75% ao ano, o que é igual à taxa básica, Selic. Ainda, há seis meses de carência para pagar o empréstimo adquirido, em até 30 meses. Este financiamento pode ser pedido diretamente aos bancos que processam as folhas de pagamento da empresa. E, o dinheiro será pago diretamente aos funcionários, sem que haja a intermediação do empregador. Saiba mais sobre este tipo de empréstimo, entenda como ele funciona e pode beneficiar as empresas neste período de crise econômica.

Como obter empréstimo para pagar os funcionários?

Como mencionado, o governo liberou um investimento específico para que as empresas possam pagar os seus funcionários. Desta forma, evita-se que elas demitam os indivíduos e a crise econômica piore ainda mais. Foi liberado até R$ 40 bilhões para estas empresas, e 85% deste valor será de responsabilidade do governo federal.

Este investimento pode ser obtido por pequenas e médias empresas, que tenham o faturamento entre R$ 360 mil e R$ 10 milhões por ano, com juros de 3,75% ao ano. Ainda, há uma carência de 6 meses para que a empresa comece a pagar o empréstimo, além de um prazo de 30 meses para que ocorra a quitação do empréstimo. O dinheiro é voltado para o pagamento dos funcionários, e, por isto, o valor do salário é pago diretamente aos funcionários.

Ou seja, a empresa contrata o empréstimo e, então, o pagamento é feito para os funcionários, sem que haja qualquer intermediação. Porém, é preciso mencionar que o crédito será limitado para o pagamento de até dois salários mínimos (R$ 2.090) por funcionário. Ou seja, mesmo que o seu funcionário comumente receba um salário mais alto, ele terá que ser ajustado temporariamente. Para receber este investimento, a empresa deve se comprometer a não demitir nenhum funcionário por dois meses.

Empréstimos Empresas
Os empréstimos podem ser obtidos pelas pequenas e médias empresas para que elas paguem os seus funcionários.

O financiamento é oferecido pelas próprias empresas que são responsáveis pela folha de pagamento. Para as empresas que pagam seus funcionários pelo Itaú, por exemplo, é possível solicitar a linha de crédito pelo Itaú Empresas, na internet. Porém, é preciso não ter apresentado atrasos nos últimos seis meses. Já os que realizam o pagamento pelo Bradesco, e possuem crédito pré-aprovado, podem realizar a solicitação do crédito pelo Net Empresa ou no Net Empresa Celular. Também, pode-se requisitar o empréstimo na agência ou por telefone.

A dívida é do funcionário ou da empresa?

O empréstimo é realizado pela empresa. Ou seja, é uma dívida da pessoa jurídica, e não dos funcionários. Este empréstimo possui uma carência de seis meses e, pode ser pago em até trinta parcelas. Ainda, os funcionários não precisam se preocupar, pois eles não terão que gastar nenhum valor com esta dívida adquirida pela sua empresa.

O único malefício que o funcionário pode ter é que este empréstimo só contempla o pagamento de até dois salários mínimos. Ou seja, os que ganham três salários mínimos, passarão a ganhar apenas dois. Já os que recebem um salário mínimo, continuarão recebendo o mesmo.

Publicidade

Logo iDinheiro

Newsletter iDinheiro: receba novidades sobre o que importa para o seu dinheiro.

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *