Desde o início do isolamento social que o uso do cartão de crédito tem se tornado mais frequente. Esta mudança de hábito para muitos brasileiros é devida ao resguardamento em casa, onde as maiorias das compras estão sendo realizadas através da internet ou aplicativo.  

Além desta adaptação digital, muitos consumidores aderiram ao uso do cartão de crédito pré-pago, pois estão em busca de facilidade financeira e um melhor controle de gastos. No entanto, esta prática também atingiu pessoas que estão endividadas, com nome sujo no SPC e Serasa e consumidores com renda mais baixa.

Continua após a publicidade:

De acordo com a Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços (Abecs), houve um aumento de 23% no primeiro trimestre de 2020 nas compras online realizadas com o cartão de crédito. Isto representa 29% do volume transacionado com cartões no Brasil, no que equivale a R$87 bilhões de reais.

A título de curiosidade, no geral, as compras feitas com cartão teve um aumento de 14% neste mesmo período, com um volume transacional de R$475 bilhões de reais.

Segundo os especialistas financeiros, a utilização do cartão pré-pago tem ajudado no aumento do processo de bancarização. Esta prática ajuda as pessoas que não tinham acesso aos serviços bancários, conseguirem usufrui-los por meio de pagamento digital.

O que é o cartão pré pago

O cartão de crédito pré-pago, como o nome já sugere, funciona como um celular com plano pré-pago. Isto é, o consumidor só pode utilizar este tipo de cartão se tiver em conta um valor depositado. Para melhor exemplificação, o cartão vale-refeição possui créditos depositados pela empresa, para o seu funcionário utiliza-lo em suas alimentações diárias.

Apesar da sua praticidade, as pessoas precisam tomar certos cuidados ao adquirir um cartão pré-pago. O principal ponto que precisa ser avaliado antes da contratação são as tarifas embutidas neste serviço. Em determinadas situações, essas taxas podem ser mais altas do que manter uma conta em um banco convencional.

Portanto, é recomendado que seja feito um estudo sobre as empresas e os benefícios dos cartões pré-pago disponibilizados. Assim, será comparado além das taxas, o tipo de bandeira, o limite diário e mensal para utilização, transferências e entre outros.

Publicidade