Cartão clonado: o que fazer nessas situações complicadas?

Confira nosso guia sobre cartão clonado, o que fazer nessas situações, qual o procedimento geral e algumas dicas para evitar esse problema!

LinkedIn
Ana Júlia Ramos

“Tive meu cartão clonado, o que fazer agora?”. Se você se encontra nessa situação, pode não saber como proceder. Mas, apesar de ser um momento complicado, existem saídas. Mesmo com as novas tecnologias e mecanismos de segurança, ainda é possível que criminosos roubem os dados do cartão de diferentes maneiras, causando uma grande dor de cabeça para o consumidor.

No entanto, o primeiro passo é manter a calma e seguir os procedimentos corretos para evitar maiores problemas financeiros, além de remediar a situação rapidamente.

Continua após a publicidade

Pensando nisso, nós preparamos um tutorial especial sobre cartão clonado, o que fazer nessa situação, quais autoridades acionar e dicas para evitar cair em golpes. Confira a seguir!

Cartão clonado: o que fazer nessas situações?

Ao ter o cartão clonado, o que fazer nessas situações pode preocupar o consumidor, especialmente aqueles que estão enfrentando esse problema no momento. No entanto, existem algumas soluções viáveis que podem reverter o transtorno, além de reduzir os riscos de novas complicações no futuro.

Continua após a publicidade

Depois de identificar a clonagem ou encontrar suspeitas que isso aconteceu, o primeiro passo é solicitar o bloqueio do cartão imediatamente. Esse processo pode ser feito por meio de diversas plataformas, como aplicativo, telefone ou na agência bancária correspondente.

É importante que o cliente tenha uma prova da clonagem do cartão, como a fatura, histórico de movimentações ou extrato que contenha a compra não-autorizada. Dessa forma, a instituição poderá tomar as devidas providências e invalidar os dados para que não seja feitam novas compras.

Após o bloqueio, geralmente o banco realiza o cancelamento definitivo, para garantir a segurança das informações do cliente. Em seguida, é feita uma nova solicitação com novos dados. Além disso, ao ter o cartão clonado, o que fazer nas próximas etapas também inclui solicitar o estorno do valor não reconhecido.

O banco, a administradora do cartão ou o estabelecimento que admitiu a compra podem realizar a devolução do valor.

Continua após a publicidade

Depois de acionar o banco e bloquear o cartão clonado, também é recomendável abrir um Boletim de Ocorrência, para o caso de protestos indevidos no seu nome. Em seguida, procure fazer um alerta de documentos roubados, furtados ou clonados em instituições como o Serasa, para que os estabelecimentos fiquem de sobreaviso.

Em resumo, se você identificou um cartão clonado, o que fazer inclui bloquear o serviço com o banco, abrir um B.O. e solicitar o estorno das compras feitas no seu nome.

Quais as situações onde o cartão pode ser clonado?

No passado, as clonagens começaram a ser feitas por meio da tarja magnética, aquela faixa preta localizada atrás dos cartões. Maquininhas adulteradas faziam com que golpistas e criminosos clonassem os dados no momento da compra.

Posteriormente, novas tecnologias, como os chips e microchips, tornaram as operações de pagamento mais seguras, mas as clonagens ainda podem acontecer. Segundo uma pesquisa da Confederação Nacional dos Dirigentes Lojistas (CNDL) e do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC), 3,65 milhões de brasileiros tiveram seus cartões clonados no período de um ano.

Continua após a publicidade

Isso ocorre por conta de diversas situações que podem facilitar esse golpe, como:

1. Divulgação dos dados do cartão na internet

Mesmo que seja apenas por mensagem ou para amigos nas redes sociais, divulgar os dados do cartão na internet pode ser perigoso. Isso porque o compartilhamento de informações não é totalmente seguro, estando vulnerável a hackers, por exemplo, ou vazamento de dados.

2. Compras em páginas maliciosas

Ao ter o cartão clonado, o que fazer também inclui verificar as últimas páginas visitadas, especialmente cadastros e compras virtuais. Clicar em links maliciosos e salvar as informações da sua conta em páginas desconhecidas podem resultar em clonagens, além de outras fraudes de cartão.

O aumento da popularidade do e-commerce também possibilitou novas formas de golpe financeiro, por meio da divulgação de páginas falsas que recolhem e salvam os dados sem autorização.

Atualmente, este é um dos métodos mais populares de golpe. Muitas páginas imitam o design de grandes empresas para atrair suas vítimas e fazer com que insiram suas informações.

Continua após a publicidade

3. Pagamentos por terceiros

Embora grande parte dos golpes que resultam em cartões clonados aconteçam na internet, também é possível que essa situação aconteça em compras físicas, especialmente em estabelecimentos suspeitos. Por exemplo, em locais ou eventos abertos, onde não é possível monitorar o pagamento durante todas as etapas.

Nesses momentos, atendentes golpistas podem fotografar o cartão em um instante de distração. Ou, ainda, terem uma maquininha de cartão que consegue fazer a clonagem rapidamente.

Ainda, é possível que uma pessoa com más intenções digite um valor mais alto, sem que o cliente perceba, pela correria do dia a dia ou distração. Por isso, é importante lembrar que os golpes de clonagem não ocorrem apenas na internet, e é fundamental se atentar no dia a dia também.

Cartão clonado: o que fazer para evitar que aconteça novamente?

Depois de ter o cartão clonado, o que fazer também implica em tomar novos cuidados para evitar que esse problema ocorra novamente. Para isso, vale a pena seguir algumas dicas que podem aumentar a segurança dos seus dados. Confira:

Continua após a publicidade

1. Monitore as suas faturas

Antes de mais nada, é fundamental estabelecer um monitoramento regular da sua fatura e das movimentações do seu cartão. Dessa forma, será possível identificar compras não-autorizadas ou que você não reconhece e, assim, tomar as devidas providências mais rapidamente.

Além disso, esse gerenciamento também pode ajudar a evitar situações de engano. Em alguns casos, o nome do estabelecimento na fatura pode ser diferente da nota ou das placas de identificação, por exemplo. Ao verificar a fatura, o usuário pode não reconhecer a compra, e, com isso, imaginar que seu cartão foi clonado.

Por isso, é importante monitorar suas faturas periodicamente, e se atentar para todas as compras que foram feitas.

2. Assegure a confiabilidade do site

Para compras na internet, é essencial assegurar a confiabilidade do site antes de inserir os dados do seu cartão e confirmar a operação. Sempre priorize endereços seguros e verifique se o site pertence mesmo à empresa. Muitos golpes imitam páginas de compras de empresas famosas, alterando apenas alguns detalhes.

Continua após a publicidade

Além disso, se não conhecer o site ou a loja, pesquise sobre a reputação do portal e veja se existem reclamações quanto à segurança das compras virtuais. Dessa forma, você poderá se prevenir quanto à fraudes digitais, e evitar que golpistas clonem as suas informações na internet.

2. Dê preferência para cartões virtuais

Finalmente, se for possível, dê preferência para cartões virtuais em suas compras na internet. Também existem aplicativos, como PicPay, que permitem a integração desse recurso para pagamentos físicos.

Muitas instituições disponibilizam mecanismos de segurança para cartões virtuais, como solicitação de senha para cada compra, confirmação do código de segurança e atualização das informações a cada acesso. Além de serem mais difíceis de clonar, os dados dos cartões virtuais também são acessíveis e podem aumentar a segurança das suas compras.

Cartão clonado: o que fazer para ter mais controle?

Ter o cartão clonado pode trazer uma série de problemas para o consumidor, mas não é algo sem solução. Para ter mais controle sobre a situação, é fundamental manter a calma e identificar a ocorrência o quanto antes.

Continua após a publicidade

Dessa forma, você poderá tomar as devidas providências com mais segurança e tranquilidade. Além disso, o procedimento geral é simples e acessível, com apenas algumas etapas que podem cancelar os dados fraudados para aumentar a segurança.

Tanto o bloqueio do cartão, quanto a solicitação de estorno e abertura de boletim de ocorrência podem ser feitos pelas plataformas digitais, agilizando o processo. No futuro, para evitar essa situação, é importante garantir a confiabilidade das suas compras, sejam de forma física ou virtual.

Se você deseja mais controle sobre a situação, também é interessante investir em um planejamento adequado para os seus gastos. Conhecer bem as movimentações do seu cartão de crédito é essencial para lidar com situações complicadas como essa. 

Por isso, ao ter o cartão clonado, o que fazer é simples: identifique os gastos, entre em contato com o banco e recupere seus dados com segurança.

Gostou do conteúdo? Não se esqueça de ativar as notificações do Push e assinar a newsletter do iDinheiro para receber todas as novidades em primeira mão.

Continua após a Publicidade

Comunidade iDinheiro
Pergunte à comunidade ➔
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Logo iDinheiro

Newsletter iDinheiro: receba novidades sobre o que importa para o seu dinheiro.

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.