Na última sexta feira (03/07) o presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, anunciou uma ação inédita da empresa, que estará disponibilizando uma nova taxa de juros do cheque especial. Os clientes da instituição, terão à disposição a taxa mensal de 1,8% ao mês.

“Optamos por reduzir a taxa que já estava em 2.9%, como uma nova opção de auxílio à população que busca por crédito acessível neste momento tão complicado. Eu, particularmente, nunca vi nada parecido”, disse Guimarães, afirmando que a expectativa é a de uma redução ainda maior. 

Continua após a publicidade


Com a presença do presidente Jair Bolsonaro, disse que, mesmo com uma opção atrativa, o ideal é que as pessoas não busquem por soluções de empréstimo sem realmente precisar do dinheiro. 

Porém, o Presidente acabou chamando a atenção dos holofotes com mais uma de suas frases polêmicas após o anúncio. “Como eu não entendo de economia, e está dando certo, quero continuar não entendendo”. 

Juros de cheque especial divergente

Apesar de ser anunciada como mais um diferencial do mercado, os clientes da Caixa Econômica Federal precisam estar atentos com o real valor dos juros de cheque especial disponibilizado pela instituição.

Afinal, mesmo com o anúncio de 2,9% no início da pandemia, o valor ofertado em diversas agências da instituição financeira eram, no mínimo de 4,38% ao mês.

Mesmo sendo um valor mais acessível que outros bancos do País, não deixa de ser uma taxa diferente da anunciada por Guimarães anteriormente. 

Por isso, é fundamental que você procure sua agência e negocie as taxas do cheque especial diretamente com o gerente de sua conta corrente. 

Quer continuar acompanhando tudo sobre a volatilidade do cheque especial no Brasil? Então, não deixe de assinar a newsletter do iDinheiro.