Um levantamento da Serasa Experian mostrou que os brasileiros comprometem, em média, 29,2% da sua renda. As informações foram obtidas do Cadastro Positivo, sistema que acompanha todas as movimentações financeiras dos consumidores.

O dado é considerado preocupante, principalmente porque pessoas com renda mais baixa gastam mais com essa despesa. Veja os dados e os resultados do estudo!

Comprometimento da renda

No total, a média de gastos com cartão de crédito chegou a R$ 1.125 em abril de 2020. Entre as faixas etárias, a que mais gastou foram os adultos entre 36 e 60 anos, com média de R$ 1.263.

Por outro lado, os que menos comprometeram a renda foram os jovens de 18 a 25 anos, que chegaram a uma média de R$ 581. Ainda houve diferença a depender da faixa salarial do consumidor. Os resultados foram:

  • até R$ 1 mil: comprometimento de 60,7%;
  • de R$ 1 mil a R$ 2 mil: comprometimento de 48,4%;
  • de R$ 2 mil a R$ 5 mil: comprometimento de 33,9%;
  • de R$ 5 mil a R$ 10 mil: comprometimento de 26,6%;
  • acima de R$ 10 mil: comprometimento de 14,2%.

Fica claro, portanto, que apenas as faixas com salário acima de R$ 5 mil ficaram abaixo da média nacional. Esse foi um dos fatores que fez com que 13,3% dos consumidores pagassem a fatura com atraso em abril.

Outros 3,6% quitaram somente o valor mínimo e, por isso, entraram no rotativo do cartão de crédito. Essa situação aconteceu mais com os consumidores que recebem até R$ 1 mil por mês (6,4%) e com mais de 60 anos (11,3%).

Situação por estados

Também houve diferença nos resultados, de acordo com os estados brasileiros. Aqueles que apresentaram a maior quantidade de consumidores com o pagamento em atraso foram:

  • Amapá: 81,5%;
  • Maranhão: 81,6%;
  • Amazonas: 81,7%.

Por sua vez, os que tiveram maior nível de pontualidade foram os três estados do Sul:

  • Santa Catarina: 88,8%;
  • Rio Grande do Sul: 88,6%;
  • Paraná: 88,3%.

Uso de cartões de crédito

Outro dado apresentado na pesquisa foi o uso dos cartões de crédito pelos consumidores. Metade dos brasileiros tem dois ou mais. Desse total, 12,5% trabalham com 3 cartões de crédito ao mesmo tempo e 9,6% possuem 4 ou mais.

Esses fatores fazem o cartão de crédito ser a principal dívida dos brasileiros. Conforme pesquisa da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), essa é a realidade de 76,7% dos consumidores.

Apesar de ser válido utilizar o cartão de crédito, o economista da Serasa Experian, Luiz Rabi, destacou que é preciso tomar cuidado, porque ele é usado como “margem de manobra com o próprio orçamento, muitos recorrem ao cartão para concentrar despesas e ganhar fôlego até o vencimento da fatura”.

Quando o total deixa de ser pago, as taxas de juros incidentes chegam a 313,4% ao ano, segundo dados de abril. Além disso, a quitação do total somente pode ser adiada por 1 mês. Depois é preciso renegociar a dívida.

Achou interessantes os dados dessa pesquisa? Deixe seu comentário e conte como você utiliza o seu cartão de crédito!