Fintechs, Notícias

Brasil concentra cerca de 50,5% dos negócios de fintechs na América Latina

Lilian Calmon
Lilian Calmon
sala de reunião de startups representando negócios de fintechs na América Latina
Segundo estudo do Banco de Compensações Internacionais (BIS), o Brasil concentra cerca de 50,5% dos negócios de fintechs na América Latina.

O Brasil concentra cerca de 50,5% dos negócios de fintechs na América Latina, mostrou o estudo publicado pelo Banco de Compensações Internacionais (BIS), o “banco central mundial”, em novembro. O número engloba investimentos, negociações e financiamentos nesse mercado.

Entre 2015 e 2018, o mercado nacional de fintechs movimentou um total de quase US$ 2,5 bilhões em acordos de investimento e outras negociações com startups financeiras. Para comparação, a Colômbia ficou em segundo lugar com pouco mais de US$ 1 bilhão no período.

Continua após a publicidade

Com informações do Olhar Digital.

Negócios de fintechs na América Latina: Brasil também lidera o número de negócios firmados

O Brasil também lidera o número de negócios firmados nesse mercado. Em quatro anos, foram 222 acordos. O México, na segunda posição, teve 100 negociações. 

Além disso, o crédito total teve grande crescimento, especialmente a partir de 2017. O valor mais que dobrou desde então. “Entre 2017 e 2019, o investimento em fintechs cresceu mais de 100%, enquanto o número de acordos aumentou 28%”, mostrou o estudo.

Modelo desburocratizado, aliado a taxas menores e facilidade de crédito, atrai mais pessoas 

No país, o modelo desburocratizado, aliado a taxas menores e facilidade de crédito, atraiu mais pessoas para a adoção de instituições financeiras digitais em um curto espaço de tempo.

O relatório revelou que, em 2019, 64% dos brasileiros usaram serviços de pelo menos uma fintech, mesmo número da média mundial.

Embora a América Latina seja uma região com carências estruturais em termos econômicos e de financiamento de mercados em desenvolvimento, é também uma região com o costume de adotar novas tecnologias com grande facilidade.

Então, como mais da metade da população desses países não tem acesso a serviços financeiros e como as fintechs oferecem custos mais baixos e maior eficiência, elas acabam por avançar rapidamente na região.

Aproveite e leia também “‘Banco central mundial’ pretende lançar moeda digital própria; saiba mais”.

Quer acompanhar as notícias sobre negócios de fintechs na América Latina? Então, assine a newsletter do iDinheiro e receba tudo em tempo real.

Publicidade

Logo iDinheiro

Newsletter iDinheiro: receba novidades sobre o que importa para o seu dinheiro.

    Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *