De acordo com as informações divulgadas pelo veículo de comunicação Valor Econômico, o Banco Central divulgou recentemente quais serão as regras para o compartilhamento de informações sobre os dados relacionados aos cartões de crédito.

Essas novas normas, inclusive, são vistas como uma importante etapa, até mesmo para a liberação do crédito através das maquininhas de cartões, previsto para entrar em funcionamento em setembro, como anunciamos anteriormente. 

Continua após a publicidade:

A partir deste momento, os lojistas precisarão “validar” todos os seus recebíveis através da máquina de cartão em uma registradora ou software com informações válidas, que também poderão ser utilizados como ativos financeiros.  Desta maneira, será possível criar um histórico de recebimento através desta modalidade, independentemente da empresa utilizada. 

O objetivo, é o de que esses empreendedores consigam uma liberação de crédito mais facilitada em múltiplas plataformas. Caso o crédito seja concluído entre as duas partes, o banco só poderá reter a parte equivalente à garantia das operações, sem descontar qualquer quantia a mais dos seus consumidores.

Dados dos cartões e travas bancárias

Essa vem sendo uma mudança apontada como decisiva para o mercado financeiro, muito por conta da existência da trava bancária, envolvendo todos esses assuntos relacionados a recebimentos de cartões de crédito. Basicamente, as travas bancárias são as garantias exigidas pelos bancos e instituições financeiras para que o crédito consiga ser concedido de maneira mais facilitada. 

Por isso, com o comprovante dos recebíveis, a queda da “garantia” entre os recebimentos passa a ser muito mais facilitada, ajudando os pequenos empreendedores que estão encontrando dificuldades para conseguir empréstimos do governo, como o Pronampe

Quando as novas regras entrarão em vigor?

Marcada inicialmente para agosto, as regras para o compartilhamento de informações sobre os cartões deverá entrar em vigor de maneira oficial apenas em novembro, por conta de toda a operação e complicação provocada pela pandemia do novo coronavírus. 

O objetivo, é que através dos registros dos recebimentos e com o compartilhamento desses dados, as registradoras de pagamento se “certifiquem” de que os recebíveis continuem acontecendo, garantindo assim, que os valores serão liquidados. 

Esse processo é realmente relevante para o empreendedor?

Para os micro e pequenos empreendedores que precisam de crédito para se manterem funcionando diante da crise econômica, essa é uma mudança bastante importante, já que as operadoras não precisarão reter uma quantia específica do valor que será disponibilizado. 

Entretanto, a anotação dos recebíveis acaba se tornando a “garantia” de que o negócio continua gerando receita, e que os pagamentos, de fato, continuarão sendo honrados nas datas e condições acordadas. 

Inclusive, a expectativa do mercado de maquininhas de cartões diante a possibilidade de empréstimos é a de que os valores se esgotam em poucos dias após a divulgação no mercado. 

Além disso, essas operações contarão com o apoio das Registradoras Centrais de Recebíveis (Cerc) e da Câmara Interbancária de Pagamentos (CIP), controladas pelos bancos. e a Tag, que está sendo desenvolvida pelos responsáveis da Stone

Quer continuar acompanhando as novidades sobre a liberação do crédito através das maquininhas de cartões? Então, assine a newsletter do iDinheiro e receba tudo em tempo real. 

Publicidade