Recentemente, o Banco Central abriu uma consulta pública para realizar uma alteração na regra das instituições de pagamento, a fim de implantar uma nova modalidade para a transação de dinheiros utilizando métodos diferentes dos já conhecidos pelo mercado convencional, como o PIX, por exemplo. 

De acordo com informações divulgadas pela instituição, o iniciador de transação de pagamentos deverá ser obrigatoriamente uma instituição autorizada a funcionar pelo órgão e poderá prestar o serviço ao consumidor e também, aos estabelecimentos comerciais. 

Continua após a publicidade


Em nota, o BC relatou que as instituições poderão utilizar as novas metodologias de pagamento sem a necessidade de uma nova autorização.

“A diferença é que, depois da norma que já está em consulta pública, as empresas passarão a competir com novos atores do mercado, e isso poderá estimular novos modelos de negócios e baratear custos para o consumidor”, disseram em carta divulgada à imprensa.

Nesta nova norma, fintechs e sociedades de crédito direto estão dispensadas como emissores de instrumento de pagamento pós pago. 

Neste regulamento, é necessário que as instituições de pagamento e emissoras e moedas eletrônicas solicitem autorização ao BC para funcionarem antes de iniciarem suas atividades. 

Neste caso, podemos concluir que a nova nota é tudo o que o Banco Central precisava para introduzir de vez o sistema PIX no mercado de maneira simples e extremamente objetiva. 

Acompanhe todas as novidades sobre o universo financeiro assinando a newsletter do iDinheiro.