Menos de uma semana depois de anunciar as operações de pagamento no Brasil, o WhatsApp precisa suspender o serviço no Brasil. A medida foi adotada pelo Banco Central (Bacen) no dia 23 de junho, que suspendeu os pagamentos por WhatsApp com a justificativa de que precisa avaliar riscos das transações financeiras.

A proposta é fazer uma análise do formato de pagamentos e transferências para garantir sua adequação ao Sistema de Pagamentos Brasileiro (SPB). Em nota, o Bacen ainda destacou que “a motivação do BC para a decisão é preservar um adequado ambiente competitivo, que assegure o funcionamento de um sistema de pagamentos interoperável, rápido, seguro, transparente, aberto e barato”.

O comunicado também reforça que a operação de pagamento não foi comunicada de maneira prévia. Portanto, poderiam ocorrer “danos irreparáveis ao SPB notadamente no que se refere à competição, eficiência e privacidade dos dados”, reforça o texto.

Apesar de ter sido anunciada a suspensão imediata, o WhatsApp ainda não havia se pronunciado até a noite do dia 23 de junho. De toda forma, o Bacen determina pagamento de multa e apuração de responsabilidade em processo administrativo.

Funcionamento do WhatsApp Pay

O serviço de pagamentos do WhatsApp já estava em funcionamento no Brasil, mas ainda não em sua total potencialidade. A expectativa é que 51 milhões de pessoas utilizassem o recurso todos os meses. Nesse início, a liberação ocorreu para 1,5 milhão de pessoas. No Brasil, o aplicativo tem cerca de 120 milhões de usuários.

O WhatsApp Pay já estava em testes desde o início de 2020 na Índia. No entanto, o Brasil foi o primeiro país em que o serviço foi realmente implementado. 

A partir da liberação do recurso, o usuário poderia ativá-lo e cadastrar uma conta-corrente. Por enquanto, essa opção seria permitida apenas para correntistas do Banco do Brasil, Sicredi e Nubank. Outras instituições financeiras optaram por não participar da iniciativa no momento.

Para as empresas, o recurso de pagamentos ficaria disponível na versão business. O dinheiro entraria na conta cadastrada em até 2 dias úteis, com a aplicação de uma taxa de 3,99%.

Toda a transação com o cliente ocorreria diretamente na conversa por meio do Facebook Pay, que foi integrado ao WhatsApp. Além disso, as transações financeiras seriam intermediadas pela Cielo, com o auxílio das bandeiras Visa e Mastercard.

Expectativas para o futuro

Apesar de ter sido suspenso, o WhatsApp Pay não está proibido. A ideia é haver uma interrupção temporária para nova análise. Assim que o Bacen fizer a avaliação, o serviço poderá ser retomado.

No mercado financeiro, parte apoio a decisão, enquanto o restante considerou a iniciativa do Bacen “coercitiva” e “complexa”. Aqueles que fazem parte do primeiro grupo, entendem que o Facebook já teve problemas de regulação em vários países e falhas na segurança, que causaram vazamentos de dados de milhões de usuários.

O assunto será discutido em uma reunião no dia 24 de junho, às 13h30min. Na ocasião, o presidente do Bacen, Roberto Campos Neto, conversará com representantes do WhatsApp e do Facebook.

Quer continuar se atualizando sobre as novidades do mercado financeiro? Assine a newsletter do iDinheiro e receba os conteúdos exclusivos.