Como uma das medidas para conter a inadimplência diante da pandemia do novo coronavírus, o Banco Central passará a autorizar, por meio de uma Medida Provisória (MP), que os imóveis financiados sirvam de garantia na busca por novos empréstimos. 

Desta forma, a instituição acredita que seja possível fazer a liberação de mais de R$ 60 milhões, de acordo com as contas iniciais realizadas pelos responsáveis.

Para o diretor de regulamentação, Otavio Damaso, um trabalhador que já tenha financiado 60% do valor do imóvel e já tenha pago 30% do valor total, poderá solicitar o valor pago em uma nova operação de crédito e nas mesmas condições de seu contrato original.

Por exemplo: Se o imóvel foi financiado a uma taxa de juros de 7% ao ano, mais a Taxa Referencial (TR), a pessoa poderá contratar um novo empréstimo sem nenhum tipo de problema, com o mesmo período de pagamento inicial.

Agora, caso o pagamento de uma das parcelas não seja efetuado, as restantes passam a vencer de maneira antecipada e automática. 

Mesmo com essa nova solução disponível no mercado, o Banco Central ainda não liberou informações relacionadas a limites de prazos ou juros específicos que serão praticados nessa nova linha de crédito.

Para ter acesso a essas novas condições, também será preciso aguardar com que os bancos criem seus próprios produtos específicos para os consumidores específicos.

Gostou do conteúdo? Então, assine a newsletter do iDinheiro e tenha sempre a melhor informação sobre dinheiro em sua caixa de entrada.