O Banco Central aprovou o aumento de capital do Nubank para mais de R$ 2 bilhões. Com isso, o capital social da Nu Pagamentos, nome oficial da empresa, passa de de R$ 1,557 bilhão para R$ 2,087 bilhões.

O aumento foi votado em assembleia geral extraordinária (AGE) realizada em 1º de julho e foi aprovado na última segunda-feira, 31.

Continua após a publicidade:

O balanço do Nubank do primeiro semestre também informava sobre o aumento de capital de R$ 264,925 milhões na subsidiária Nu Financeira.

Informações são do Valor Investe.

Aumento de capital do Nubank

O banco digital tem recebido aportes, apesar de ter registrado um prejuízo de 32% em um ano.

Em junho, a Nu Holdings registrou na Securities and Exchnage Commission (SEC) uma rodada de aporte de US$ 300 milhões, cerca de R$ 1,65 bilhão.

Documento entregue à SEC, órgão que regula o mercado de capitais dos Estados Unidos declarou novo aporte.

David Vélez, fundador do Nubank, Douglas Leone, do fundo de investimentos Sequoia Capital, Nicolas Szekasy, do fundo Kaszek Ventures, e Meyer Malk, do fundo Ribbit Capital assinaram papel.

Os três fundos já investiam no Nubank. O banco já recebeu mais de R$ 1,4 bilhão em sete rodadas de investimentos — a última delas em julho do ano passado, de US$ 400 milhões.

Além desses investidores, a fintech brasileira tem sócios como Tiger Global, Redpoint Ventures, Dragoneer Investment Group e Tencent.

Nubank teve prejuízo

Conforme noticiamos,  Nubank teve prejuízo líquido de 211,8% entre 2018 e 2019. No período de um ano, o prejuízo do Nubank saltou de R$ 100,3 milhões para R$ 312,7 milhões. O prejuízo por ação foi de R$ 1,99.

Ao mesmo tempo, nesse período, receitas também tiveram aumento em todos os segmentos. Só com intermediação financeira, por meio de aplicação dos recursos depositados pelos clientes, houve crescimento de 165,5%, atingindo R$ 528,8 milhões.

Quer continuar acompanhando as novidades sobre fintechs como o Nubank? Então, assine a newsletter do iDinheiro e receba tudo em tempo real. 

Publicidade