A Tesla e a Apple, duas gigantes do mercado de tecnologia, decidiram apostar no desdobramento de suas ações na Nasdaq para atrair novos investidores. A partir desta segunda-feira, 31, você não precisa mais desembolsar cerca de R$ 12 mil por uma ação da Tesla ou R$ 2.700 por uma ação da Apple. 

De acordo com a consultoria eToro, essa estratégia deve representar uma alta de 33% nas ações de ambas as empresas nos próximos 12 meses. Entenda por que. 

Continua após a publicidade:

Com informações da Exame.

Entenda o desdobramento de ações da Apple e Tesla 

O split das ações é uma estratégia comum em empresas que tem o valor individual das ações muito alto, o que espanta investidores menores. Na última sexta-feira, 28, o pregão na bolsa eletrônica fechou com os papéis da Apple valendo US$ 499,23 cada e, da Tesla, no valor de US$ 2.213,40.

Com o alto valor individual da ação, a Apple decidiu dividir cada ação em quatro. No caso da Tesla, o split será de um para cinco. Com essa ação, o preço individual dos papéis cai na mesma proporção.  

As duas companhias estão preocupadas com o valor de suas respectivas ações, que tiveram uma grande valorização neste ano, mesmo em meio à pandemia. 

No caso da Apple, a empresa viu suas ações individuais subirem 67%. No início do ano, elas valiam algo em torno de US$ 300. Já a Tesla viu um crescimento de 411% nos oito primeiros meses do ano. Em janeiro, suas ações valiam US$ 430. 

Estratégia antiga

A estratégia de fracionar as ações para evitar que elas fiquem caras demais para o investidor não é novidade. 

Outras gigantes, como a Microsoft, a Intel, McDonalds, Coca-Cola e Disney, por exemplo, já apelaram para essa prática por diversas vezes. A própria Apple já adotou o split outras quatro vezes. 

No entanto, as companhias nem sempre têm sucesso com a estratégia. Ao mesmo tempo em que as ações da Amazon valorizaram mais de 200% após o fracionamento e, da Microsoft, cerca de 50%, a Alphabet (controladora da Google), por exemplo, teve queda de 6% e a a Samsung, de 13%. Os dados são da consultoria eToro e foram divulgados pelo Business Insider

A própria Apple teve prejuízo logo após seu primeiro split, há 20 anosAs ações da companhia de tecnologia caíram 61% no ano que se seguiu ao fracionamento das ações. No entanto, a estratégia foi bem sucedida nos dois fracionamentos seguintes: em 2005 e 2014, com altas de 58,2% e 36,4%, respectivamente.  

Quer continuar acompanhando as novidades sobre as ações da Tesla e Apple? Então, assine a newsletter do iDinheiro e receba tudo em tempo real. 

Publicidade